12 de abril de 2008

O Fer que quer ter fé

Todos nós temos grandes histórias pra contar e esse foi o sentimento quando devorava as páginas do livro 'O jardineiro que tinha fé'. Foi num quarto de hospital que conheci e li pela primeira vez Clarissa Pinkola Estés. Esse livro é fascinante e despertou em mim vários momentos da minha vida e de como certas coisas passam despercebidas. Somente depois, as vezes muito tempo depois, é que nos demos conta de pequenos detalhes. O ato de contar histórias nitidamente enriquece a nossa mente. Lembrei do meu pai contando as suas proezas fantásticas como jogador de futebol, e também da minha Vô Maria respondendo as minhas curiosidades sobre sua infância pobre e sofrida. Hoje, vejo a Sofia perguntar para sua vó contar as histórias dela, de como era feito, como se brincava e vivia, então percebo que o mundo é mundo. Acho que aquele diálogo entre o pinheiro de natal e um rato não me fizeram bem. Compre aqui.

2 comentários:

Andressa disse...

Sobre histórias,,, vou ter muito orgulho de poder contar que tenho um super irmão que me deu (repito, ela é minha risossss) a Sofia.... Mano, vc é show, muito importante na minha vida. Obrigada por tudo, tenho muito orgulho de ter um irmão como vc,,, te adoro

Blog do Fer disse...

Pô maninha... assim tu me deixa vermelho. E tu sabe que sou Gremista. Te amo!