23 de fevereiro de 2011

A mudança começa por mim.

Hoje de tarde numa das lojas dos Correios estava aguardando na fila com uma senha, era o próximo a ser atendido, então chegou uma outra pessoa que ficou aguardando seguido de uma senhora que sentou ao meu lado. Ao ver o sinal no painel eletrônico vi que era minha vez, então deixei a senhora ser atendida preferencialmente, por se tratar de uma senhora. Acontece que a próxima senha a ser chamada era do cidadão que havia chegado por segundo. Ora, o atendente viu que havia deixado a senhora ser atendida no meu lugar e não falou absolutamente nada. O cidadão que foi atendido muito menos, poderia ter se pronuncionado e fazer a gentileza de obedecer a ordem de chegada. Esse é o mesmo cidadão que cobra honestidade e caráter dos políticos, o mesmo que não tolera ser passado para trás, que fica indignado com os outros. Esse é o cidadão que quer a paz mundial, mas não faz a sua parte numa simples fila, que leva vantagem em qualquer situação. Provavelmente esse cidadão se fosse político e eleito faria o mesmo. Isso me fez pensar em quanto tenho que vigiar nas minhas ações e continuar fazendo e pensando que para mudar o mundo preciso começar por mim.

4 comentários:

Fesalton disse...

ah! te vi hoje dando uma de eletrecista...não me diz q tu foi mandar a lâmpada por sedex pro gênio?!

Tá certo...isso q tu escreveu já matutei vááárias vezes. E o caminho acho que ainda é esse mesmo.

Nos falamos Fer...abraço.

Blog do Fer disse...

A lâmpada faz parte do meu serviço como síndico. Ser síndico te proporciona um mundo de conhecimento na iluminação. Pena que não é a espiritual... rsss :)

Rumo ao infinito e além!

Brogue do Coletti disse...

Bem vindo ao século XX, digo XX pois já faz tempo que as pessoas só pensam na Lei do Gerson (procure na Wikipedia...).
As vezes dá vontade de mandar todos a Punta Del Este e virar um eremita.
Grande abraço ao amigo

Blog do Fer disse...

Fala Coletti! Bom te ver por aqui meu velho.
Só vamos mudar através do exemplo. Então, não adianta mandar o cara pra Punta enfiar aqueles dedos da praia naquele lugar.
Abraço!